18 julho 2017

Educação Municipal entrega quase 300 mil materiais escolares em Marília

Francisco Carlos (amoxarifado) e professor Beto Cavalari, titular da SE
Todos os materiais foram entregues às escolas municipais e atendem às necessidades dos alunos

Balanço da Secretaria Municipal de Educação de Marília indica que, no primeiro semestre deste ano, os alunos da rede receberam cerca de 300 mil materiais escolares. A iniciativa visa o amplo atendimento das demandas de materiais apontadas pelos diretores para que os estudantes tenham o máximo aproveitamento pedagógico.

De janeiro a junho, foi entregue nas escolas um total exato de 289.892 itens. As escolas receberam, por exemplo, 25.312 cadernos (brochura e espiral); 15.410 canetas, entre esferográficas, hidrográficas e marca texto; 8.985 tubos de cola bastão e líquida entre outras dezenas de itens.

A distribuição beneficia alunos de 19 escolas municipais de Ensino Fundamental (Emefs), 35 escolas municipais de Educação Infantil (Emeis) e três entidades privadas filantrópicas que oferecem serviços educacionais e são parceiras da Prefeitura de Marília (Epfei).

O secretário municipal de Educação, professor Beto Cavallari, ressalta que, embora os materiais não tenham sido entregues em forma de kits, todas as crianças receberam material escolar, sendo que os itens de uso individual podem, inclusive, serem levados para casa.

“Como uma das prioridades do prefeito Daniel Alonso, a Educação está recebendo toda a atenção necessária. Estamos garantindo que as escolas tenham o nível de qualidade elevado. Não falamos em kit escolar ainda, mas os materiais escolares estão chegando em abundância nas escolas para o bom desenvolvimento pedagógico das crianças. E é isso que importa. Agora estamos reorganizando a logística de entrega, que também merece atenção”, disse o secretário.

Os materiais escolares são recebidos e distribuídos pelo Almoxarifado da Secretaria Municipal de Educação, instalado na Avenida Santo Antônio. O supervisor do serviço, Francisco Carlos de Oliveira, explica que os controles estão sendo melhorados para garantir eficiência e economia.

“Estamos criando novos fluxos, o que chamamos de ‘organização funcional’ do almoxarifado, o que não havia anteriormente e gerava mais lentidão e até incômodos com os prazos, coisas que podem ser evitadas. Toda essa iniciativa de reorganização já começa a ter impacto nas escolas no segundo semestre”, garante.

AÇÕES E VALORIZAÇÃO

A Secretaria Municipal de Educação encerrou o primeiro semestre com a distribuição de 60 mil uniformes, sendo 20 mil conjuntos com duas camisetas, duas bermudas ou dois shorts saia, uma calça e um agasalho. O município também garantiu os 18.053 ovos de chocolates, este ano, com o diferencial de contemplar, pela primeira vez, as crianças com intolerância à lactose e alergias.

Neste segundo semestre, a Secretaria já executa o planejamento para que as escolas continuem a receber os materiais necessários. A pasta também tem garantido a formação continuada dos servidores do Magistério, a distribuição e a qualidade da merenda escolar e melhorias no transporte, com a aquisição de sete novas vans e seis ônibus zero-quilômetro.

Texto: Carlos Rodrigues
Fotos: Júlio César de Carlis

30 junho 2017

Prefeito Daniel Alonso assina parceria para instalação de biblioteca comunitária

Cada biblioteca conta com mil livros e kit multimídia; parceiros são CPFL e Instituto Ecofuturo

O prefeito Daniel Alonso assinou, nesta quarta-feira (28), o Acordo de Cooperação com Instituto Ecofuturo para a implantação da primeira Biblioteca Comunitária “Ler é Preciso” em Marília, que funcionará na Emef (escola municipal de ensino fundamental) Nelson Gabaldi, na zona oeste da cidade. A parceria de incentivo à leitura conta com a participação da CPFL Energia.

A analista administrativa do Instituto Ecofuturo e responsável pela implantação na cidade, Bianca Corrêa, foi recebida pelo prefeito ao lado da diretora da escola, Vanessa Cristina Passarelli Barbacozi, e do coordenador de gestão escolar da Secretaria Municipal de Educação, professor Joaquim Bento Feijão. A biblioteca entrará em funcionamento ainda neste semestre.

Daniel agradeceu a implantação da Biblioteca e lembrou da importância das parcerias. “Temos que valorizar as empresas e organizações que investem em nossa cidade. Esse projeto será um sucesso e vai qualificar ainda mais o atendimento que a nossa rede faz em relação a oferta de livros”, disse.

O secretário municipal de Educação, professor Beto Cavallari, parabenizou a representante do Instituto Ecofuturo, a diretora Vanessa, o prefeito Alonso e todas as pessoas que trabalham pela Biblioteca “Ler é Preciso” na cidade. “Um país que prioriza a educação é um país que prioriza a formação de leitores e escritores”, disse o dirigente da educação municipal.

FORMAÇÃO

Neste quinta-feira (29) foi encerrado na cidade curso gratuito sobre Promoção de Leitura, oferecido pelo Instituto Ecofuturo. A formação faz parte do projeto de implantação da Biblioteca Comunitária na Emef Nelson Garibaldi e foi ministrada por profissionais da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), responsável pela execução técnica da iniciativa. 

O curso reuniu cerca de 30 pessoas, entre educadores do município, representantes da comunidade onde a biblioteca será instalada e pessoas que desejam atuar na área, tem como objetivo familiarizar os participantes com o texto escrito em suas diversas formas literárias e informativas, tornando-os aptos a ler com e para crianças e jovens, de forma a contribuir para a formação leitora. 

A próxima formação (curso) em Marília, visando a implantação, será realizado no dia 23 de agosto, das 08h às 17h, no Bosque Municipal. Os instrutores abordarão o Ambiente Natural como Espaço Educador. 

O PROGRAMA

A iniciativa financiada pela CPFL contempla, além de Marília, as cidades de Campinas e Bebedouro. Cada biblioteca terá mil livros, 30 profissionais capacitados para a promoção de atividades de leitura e gestão das instalações – sendo que dois serão selecionados para trabalhar integralmente nas unidades, dois computadores, uma TV, um leitor de blu-ray e uma impressora multifuncional.

Outros sete funcionários de cada uma das três prefeituras serão treinados sobre acesso e uso de recursos públicos para a sustentabilidade de bibliotecas. A previsão é que, por ano, cerca de 10 mil pessoas frequentem os locais.

O Instituto Ecofuturo é uma Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) mantida pela Suzano Papel e Celulose. O patrocínio da CPFL no programa das bibliotecas comunitárias prevê um investimento de R$ 1 milhão.

Texto: Carlos Rodrigues
Foto: Júlio César de Carlis